In quem sou Textos

Uma dica: Leia sempre as entrelinhas

Escrever sobre quem sou é meio irônico, quem iria falar mal de si mesmo em um texto?

 Pois bem, chega ser fácil falar de qualquer outra pessoa depois de alguns dias de conversa, e sobre quem sou? Por que é difícil? Talvez seja por que sou uma pessoa medrosa, e a mais covarde. Tenho medo de não me aceitarem como sou e tenho medo de mudar. Mas ao mesmo tempo não ligo para o que dizem e mudo de uma hora pra outra. Pareço ser insensível, mas me emociono até com novela.

Me faço de durona, mas sou tão frágil quanto vidro, e tão perigosa também. Sou vingativa, cabeça dura e até mesmo orgulhosa e isso vai me matando aos poucos. Sou mandona, gosto de tudo pra ontem, sou perfectionista e totalmente detalhista. Minha imaginação é enorme! Já fiz 3 livros apenas na minha imaginação e se quiser sento do seu lado e cito os três. Sou sonhadora, sonho em viver uma vida de aventuras e quem sabe um romance arrebatador. Sou completamente apaixonada pela escrita, mas tenho medo de um dia me apaixonar de novo, e cá entre nós, doeu tanto. Sou amiga, as vezes amiga até demais. Sabe aquela pessoa que guarda seu problema no baú e vai socorrer o amigo? É, digamos que sou assim.

Tento ser a dona da razão, mas acabo sendo compreensiva. Sou conselheira, ajudo quem for, mas na hora de receber ajuda eu me fecho. Não sei ouvir um não, sempre fico meio chateada, mas acabo sendo compreensiva, afinal ninguém pensa do mesmo jeito que eu. Sou a psicologa dos meus amigos, mas confesso que tenho medo de ir em uma. Já disse que sou medrosa? Não parece, mas sou. Muitos dizem que sou fria, seca e até um pouco grossa, mas quer saber a verdade? Eu não sou assim, ou talvez eu seja agora.. Mas foi a unica forma que encontrei de me proteger, de me esconder. Quer saber de quem? De mim.

Me auto saboto, me auto desmotivo, é estranho falar isso. Até agora não entendi por que comecei a fazer um texto sobre quem eu sou, mas vamos continuar. Aceito as diferenças fácil, não sou muito de julgar se não pedirem minha opinião. Já tive vontade de me matar e já tentei, e já fiz muito besteira que até eu duvido que tenha feito isso.
Tenho traumas, e eles me assombram todos os dias. A parcela de culpa das minhas besteiras são por conta deles. Me lembro de cada detalhe, e dificilmente consigo esquecer.
Odeio despedidas, praia e exercícios físicos, mas gosto de aventuras, sol e muay thai. Sou do tipo 8 ou 80.

Me entrego por completo, qualquer relação comigo é intensa, e isso acaba me ferindo aos poucos, afinal, não sei me despedir. Sou mimada, as vezes até meiga e romântica, mas esse lado só uma pessoa conseguiu conquistar e a mesma conseguiu estragar. Minha válvula de escape são meus textos, neles mostro um lado que talvez ninguém conheça ou acredite que eu possa ter. É difícil de acreditar, mas não penso em namorar, tão pouco em casar, o meu medo de sofrer é maior, então prefiro não arriscar.

Sempre que eu tiver que sair do meu quarto estarei sorrindo, cabeça erguida, as vezes de mau humor.. é normal. Mas raramente irá me ver chorando, irá me ver precisando de colo. Me fiz muralha e tão poucos consegue ver por de trás, pra falar a verdade, só teve um.


Acho que consegui dizer tudo sobre mim, de um jeito meio torto, meio bagunçado, mas disse tudo.
E uma dica para me entender melhor, leia sempre as entrelinhas.

Related Articles