In quem sou sei lá Textos tumblr

Mais um entrelinhas: seja, sinta, viva.


Não sei o por que estou fazendo esse texto, na verdade sempre que é texto assim eu não sei o por quê de fazer, mas vamos começar, já dei a introdução básica e bem provável você me achar a louca que fala sozinha em frente ao espelho, e talvez eu seja mesmo.

Só esse ano tenho a sensação que envelheci uns cinco anos, a minha vida deu uma três reviravolta, parei de cabeça pra baixo, barriga pra cima, de bunda de lado, literalmente parei até no chão, e tudo bem, já havia dito que sou intensa demais, e isso não é só no amor, é em tudo. Me lancei de cabeça no trabalho (estágio), quase, por um fio de cabelo que no larguei a faculdade, talvez eu tivesse com início de depressão, agora você pensa: "logo você que sempre ajuda as pessoas em depressão?", então agora você entende o quanto não é fácil falar isso. 

Não, nunca passei imagem de ser a pessoa perfeita, tô bem longe disso, tenho mil e um defeito, mas tenho qualidades também, e umas delas, talvez a maior, é ter um coração bom (calma que eu não sou a nova madre Tereza), ter um coração bom não significa que eu não seja ignorante, orgulhosa, e as vezes tenho vontade de matar alguém, já disse, não sou perfeita.

Tenho temperamento forte, mas aprendi a lidar com ele, e passei a aceitar que nem todos pensam igual a mim. Sou orgulhosa, mas aprendi a correr atras antes que seja tarde demais, e aprendi a dizer adeus quando já é tarde demais. Aprendi a apagar momentos da lembranças, como se nada tivesse acontecido, como sequer aquele momento tivesse existido, até hoje tendo entender se isso é bom ou ruim. Tem coisas que por mais que eu tente eu não consigo esquecer, mas lembrar que superei me faz forte, porém dói, e ninguém de fato ninguém entende essa minha dor, é como se eu tivesse dentro de uma bolha de todas as dores que já senti na vida, e elas tivessem me cercando.

 Ao longo do tempo fui construindo várias barreiras, uma maior que a outra, quando alguém achava que estava bem perto de "me ganhar" lá ia eu criar mais uma barreira, e se você hoje me perguntar se me arrependi, a resposta é não. Sempre acreditei quê: quando é para acontecer, vai acontecer, você não vai conseguir explicar, apenas sentir. E sempre faltou aquele "tchan" que sempre assistimos em filmes, seriados e novelas.

Se concentra nas letras desse texto, agora imagine uma pessoa que viveu a vida inteira ouvindo de todos que ela não era capaz, que ela não era suficiente, que ela não está no padrão da beleza, pensou? Agora pense que essa mesma pessoa viveu tudo isso, deu a volta por cima de toda essa negatividade e hoje vive bem consigo mesma. Seria lindo, mas não é bem assim que aconteceu, essa pessoa viveu a vida inteira assim, e vive até hoje, só que ela preferiu guardar sua dor e ajudar a pessoas que passam por isso, ela faz o que gostaria que tivessem feito por ela. Talvez seja uma forma dela não se sentir tão covarde. Bom, ela sou eu.

 As vezes parece que fingir um sorriso e mascarar a dor seja a melhor solução, mas não é, você apenas irá tardar seu sofrimento, você irá remoer ele dia a após dia. Digo por mim, sou a pessoa mais insegura que você irá conhecer, mas aprendi a não deixar os meus medos me dominar.
um conselho que dou a vocês e a mim, seja, sinta, viva.


Related Articles

0 comentários:

Postar um comentário