Ele é um pouco de saudade


​ Ele é saudade daquelas que bate no peito e faz morada, daquela que vem e não vai embora por nada. Aquele sorriso gostoso que você fecha os olhos e lembra nitidamente cada curva, é aquele olhar penetrante que vem e fica na mente te hipnotizando até você dar um sorriso frouxo.

É saudade que vem no fim de tarde, daquelas que senta pra tomar café do seu lado e acaba ficando pro jantar, e se você deixar fica com você até se deitar. É saudade que sufoca a alma, mas deixa um sorriso no rosto, de quem ama aquele sotaque que só ele tem. É saudade de quando está sol e queremos o frio e vice-versa.

Ele é saudade que vem no final de semana com clima de agosto, frio e coberta é a combinação perfeita. Ele é a saudade que dá quando escutamos uma musica que nos faz imaginar o que não vivemos, aquela saudade que dá do que poderíamos ter vivido.

É a saudade do frio na barriga só de ouvir ele chamando pelo teu nome com aquela voz gostosa que só ele tem. Ele é a saudade que dá quando a insonia vem e te derruba. É a saudade de ter alguém ali, apenas ali, ouvindo você falar nada com nada só por que gosta do som da sua voz. Ele é saudade de dividir o dia-a-dia.

Ele é saudade que te segue e persegue em todos os momentos, em musicas, novelas, pensamentos e coração. Saudade que não cabe no peito, saudade que veio de mala e não tem hora para ir embora, e  não quer ir.

É a saudade de um sentimento que não completou e sim transbordou, transbordou o coração, a alma, a vida [..] E por hoje, é melhor lidar com essas saudades do quê fingir que não existiu sentimentos.



2 Comentários