Texto: Amor platônico


Confesso que enrolei um pouco para escrever essa carta, confesso também que tive medo do que eu poderia escrever, pois sempre que falo e penso em você saem coisas que deveria ficar guardadas a sete milhões de chaves, e você me conhece e sabe que sempre falei pelos cotovelos. Mas as coisas com você é diferente, cada virgula é muito bem pensada, nunca disse uma palavra sem pensar trilhões de vezes no que você iria responder depois e depois e depois. Pode até parecer que sou louca ou que tento controlar tudo, e talvez seja isso mesmo. Mudo de assunto sempre que percebo que se eu falar algo a mais irei entregar algum segredo, me perco em pensamentos sempre que converso contigo, por que sempre posso ser eu mesma, com meus defeitos, neuras, traumas e qualidades (se é que tenho alguma). 

Ainda não sei por que quis escrever uma carta, falo com você todos os dias, sei da sua rotina, sei suas manhas, até suas neuras eu sei e isso é engraçado pois você está tão longe e parece estar tão perto. Ás vezes quando me perco em pensamentos acho que irei te ver no dia seguinte, ou até que passei o final de semana inteiro ao seu lado (sem romantismo, afinal minha imaginação é bem travada em relação a isso),  é como se você nunca tivesse longe, como se você morasse ao meu lado e a qualquer momento eu posso bater na sua porta para contar meus medos e contar com sua ajuda para me acalmar ou até rir deles (sei que a maioria é tão besta que ás vezes não acredito que os tenho).

Lembro do dia que você foi embora para outra cidade, lembro também que nesse dia eu havia escrito uma carta (que logo depois coloquei fogo) e nessa tinha apenas uma frase que até hoje eu gravei e carrego comigo "mesmo você não sabendo, você sempre foi e sempre será o meu amor platônico" e mesmo  não sabendo direito o que seria ter um amor platônico, e que o pra sempre não existe eu disse. E hoje sabendo o que é amor platônico e que o pra sempre não existe, reafirmo essa frase. Infelizmente ou até felizmente você é meu amor platônico.

Depois de ler essa carta tome algum chá de amnesia e esqueça tudo o que foi dito, não mencione nada com ninguém, torne tudo isso um segredo nosso.

0 Comentários