O mais fundo das entrelinhas


Talvez esse seja o mais profundo de todos textos que já escrevi, mas não o último, é claro. Há vários dias me sinto estranha, às vezes sozinha, às vezes sinto que tem alguém por mim - o que é bem estranho, cá entre nós -. ​Fazem exatamente uma semana, são cento e sessenta e oito horas, e dez mil e oitenta minutos no qual eu não consigo pensar em outra coisa a não ser: "onde meu chão foi parar".

Digamos que minha vida tenha dado um giro de 360 graus e eu esteja completamente perdida ainda, tendo sonhos estranhos, sensações de dor, muita dor, e claro que a TPM iria vir durante essa semana. Não tenho o que reclamar, foi assim que descobri quem está por mim, e quem não está. Aquela velha frase: é na dificuldade que sabemos quem são os nossos amigos,  e essa frase nunca foi tão verdade como agora. Antes de dormir fico revendo fotos e videos de uma antiga eu, a que tinha um brilho no olhar, que sorria sem parar, aquela que não enxergava a maldade que estava em sua volta. Não a culpo, ela fez o que sempre faz de melhor: sorrir em meio aos caos, mesmo que hoje eu não consiga ver motivos para ter aquele velho brilho nos olhos, sei que irei encontrar algum motivo novo, e de preferencia só meu. ​

Não sou de ficar dramatizando tudo que passo - pelo menos na maioria das vezes - porém a dor deve ser sentida, não é? Pois bem, esse giro que minha vida deu de 360 graus vem a cada dia me lembrar de que sou eu por eu no mundo, decepção vem de onde menos esperamos, e claro, a ajuda vem do mesmo lugar. Quem diria que alguém que você tenha conhecido a um ano consiga de fazer tirar toda a cegueira que você tinha do mundo e fazer você lutar por si. Esse é o tipo de pessoa que cada um deveria ter ao lado, não que ela seja perfeita, mas sim alguém que tem a visão do mundo do jeito que é, alguém que tenha a resposta para todas as coisas banais do dia-a-dia pois já passou por isso ou até mesmo por ter visto alguém passar.

Nunca fui de entrar em detalhes de nada sobre minha vida, por mais que eu sempre tenha gostado de compartilhar meu dia-a-dia com alguém que de fato se interessasse além do "oi, tudo bem?" mas nunca fui boa em confiar, sempre achei que ninguém um dia iria me fazer com que confiasse dessa forma que confio em uma pessoa. Ela tem sido minha ancora, mas sei que não posso fazer isso com ela, cada um tem seus "demônios" para enfrentar, e bom, essa está sendo o meu, por enquanto [...]

Tá doendo, ninguém faz ideia do vazio que está aqui dentro, mas dessa vez não será fácil preencher, não será fácil retomar de onde parou [...] é como se todo o palácio que foi construído foi feito de areia e desmoronou, e para reconstruir tem que mudar a base. Precisa ser refeito a base de amor, de segurança, refazer as principais base de uma pessoa.

Da vida sei que nada é tão planejado que não possa mudar nos quarenta e cinco do segundo tempo, nada é tão pra sempre quanto ser você por você. Amigos são amigos, e família são família, e você é você, por você, o tempo todo e às vezes sozinho, e talvez essa seja a mais dura lição que tive que aprender da maneira mais cruel, mas se não fosse assim eu não iria aprender. É difícil, vontade de chorar, voltar atrás ou até de não estar mais aqui são fortes, mas sei que é apenas mais uma batalha na qual as armas estão ao meu alcance, é vencer ou vencer. ​

Se alguém me perguntar quem destruiu essas bases tão complexas em serem criadas, a resposta será apenas "as pessoas que as criaram". Vocês me fizeram assim, se orgulhando ou não, eu fui me moldando aos poucos, criando minha própria essência, criando minhas próprias verdades, criei algo para chamar de meu, pois tudo que tinha não era meu.

Aprendi o significado de amar há tão pouco tempo e hoje que sei vi o quanto foi bom ter demorado a aprender, pois assim, amei a pessoa certa, me entreguei a pessoa certa - amanhã ela até pode não estar comigo, mas ela foi, é, e sempre será a pessoa certa.
Alguém que me tira da minha zona de conforto, alguém que me desafia a ser melhor do que eu poderia imaginar que conseguiria ser, bom, ela é o amor da minha vida [...]​ Estou seguindo meu caminho, sei que não será fácil, apesar de já conhecer um pouco de como será ainda me assusto e tenho medo do que me espera, mas agora mais do que nunca sou eu por eu, claro que tenho pessoas ao meu lado, mas essa é a minha batalha. ​

Se nessa batalha irei vencer ou não ainda é cedo para saber, mas se depender apenas de mim jamais irei jogar a bandeira branca.



0 Comentários