Luz, amor e gratidão



Sabe essa tal liberdade? Nunca fui tão fã em dizer algo assim, soa como se eu tivesse vivido boa parte da minha vida pressa, sufocada, como se minha vida até meses atrás tivesse sido tirada de mim e vivida a regia de outras pessoas, bom, em partes é verdade, em outras, hoje eu pude me reencontrar.

Não que eu estivesse perdida ou algo assim, mas foram tantos pensamentos negativos jogados para minha vida de forma cruel e às vezes de forma "amigável" que por alguns anos andei perdida de mim, e para me reencontrar foi difícil, afinal, eu já não sabia quem eu era. Meus gostos eram questionados todos os dias, minhas manias eram colocada a prova a cada instante, o pensamento que mais rondava minha mente era "essa é você" "você gosta disso?".

Hoje posso falar que me reencontrei, fui duro ouvir de umas das pessoas mais importantes da minha vida que preferia quem eu era a 19 meses atrás, e não entender o motivo de tais acusações. O tempo me fez amarga, me fez fria, me fez seca, logo eu que sempre amou uma doçura, um carinho, uma atenção diferenciada, fui me tornando o mais novo clichê: "quem eu mais temia".

Não foi fácil me reencontrar, tive que me perder mais um pouco, chegar até o fundo do poço e escutar uma voz em minha mente que dizia que eu não era assim, que o estado que eu estava não é o que me pertencia. Energia que não era minha tinha me consumido, tentando esconder de fato quem eu sou, ainda mais nesse mundo tão pesado, onde tanta e tanta energia negativa é jogada em você apenas por falta de amor. 

Demorei, mas me reencontrei, tive que perder algumas pessoas, deixar outras, e vê algumas me deixando para poder entender que luz não se mistura, que amor se cuida, e gratidão tem que ser por tudo. As pessoas que se foram de alguma forma estão comigo, sei que nada é eterno, mas a gratidão por elas é de uma imensidão inexplicável, especialmente ao mais bravinho de todos.


Escolha mais um texto

0 Comments